Domingo, 1 de Dezembro de 2013

Oh, Vida! Fugitiva Companheira

 

Oh, Vida!
Fugitiva companheira,
Eu sinto que não posso acompanhar-te.
Por isso, nesta hora feiticeira,
Quisera erguer-te uma barreira
E fazer-te parar
E abraçar-te;
E abraçar-te tão íntimo e tão fundo
Que toda a vida apenas de um segundo
Em mim entrasse, em mim vivesse,
E que depois viesse o fim do Mundo
Ou que eu morresse!...
Francisco Bugalho, in "Dispersos e Inéditos"


enviada por antonio01 às 23:17
link do post | comentar | favorito

.tags

. todas as tags